Warning: Undefined array key "options" in /var/www/html/wp-content/plugins/elementor-pro/modules/theme-builder/widgets/site-logo.php on line 192 Novo sistema de gestão logística da Via vai permitir ganhos expressivos em produtividade no maior Centro de Distribuição da América Latina. - WITRI

Novo sistema de gestão logística da Via vai permitir ganhos expressivos em produtividade no maior Centro de Distribuição da América Latina.

Compartilhe este conteúdo:

A Via, dona das marcas Casas Bahia, Ponto e Extra.com.br, está na vanguarda do mercado varejista quando o assunto é inovação. Dessa vez, a novidade chega ao setor de logística com a implantação do Manhattan Active Warehouse Management (WMS) no Centro de Distribuição de Jundiaí (SP). A partir de fevereiro, a unidade irá operar com maior grau de eficiência. A companhia é a primeira empresa de varejo no Brasil a converter um sistema de gerenciamento logístico para o armazenamento de dados na nuvem. 

A Via trabalha com a Manhattan desde 2018 e adotou recentemente uma nova versão do software que é ainda mais robusta e escalável, o que permite a melhoria da gestão dos processos logísticos e ganhos de produtividade e eficiência no CD de Jundiaí, considerado o coração logístico da rede e o maior do setor varejista na América Latina – 306 mil m² de área  para estocar e distribuir os produtos que são comercializados por suas marcas e por parceiros.

Com a implantação em Jundiaí, nove CDs localizados nos estados de Paraná, Pará, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Manaus, passam a fazer uso do novo sistema Manhattan. A expectativa é que quase 90% da malha logística da Via seja atualizada ainda em 2023, o que melhora ainda mais a integração digital que é demandada especialmente pela área de e-commerce da companhia.

A tecnologia também irá possibilitar a ampliação das operações 3P (comercializados por parceiros do marketplace), o pilar da estratégia omnichannel da Via. Consequentemente, irá fortalecer o ‘as a service’ da companhia, ou seja, a oferta de serviços para as mais variadas demandas – o fulfillment e o fullcommerce, soluções logísticas para outros negócios.

Para Fernando Gasparini, diretor de Logística da Via, a nova ferramenta trará ganhos significativos ao negócio como um todo. “Essa solução facilita a estratégia de omnicanalidade da Via, que é a integração das vendas no físico e nas plataformas online, como site e aplicativo. Com o novo WMS da Manhattan, a divisão do estoque passa a ser mais eficaz entre todos os nossos canais de comercialização e isso conversa com a missão da empresa que é vender onde, como e quando o cliente quiser”, afirma. 

De acordo com o diretor, outra grande vantagem é a otimização e ganho de tempo com os processos internos graças ao que o setor chama de “convocação ativa” dos operadores, além da atualização automática e constante do software a cada 90 dias.

Fullfilment e Fullcommerce 

Nos últimos três anos, a Via investiu em tecnologia e infraestrutura para operar uma revolução e atender os clientes com mais rapidez e eficiência os parceiros de negócios no marketplace e fora de seu ecossistema. 

Por meio do fulfillment, a companhia oferta toda sua estrutura logística, desde o recebimento, armazenagem e entrega de produtos de terceiros – sejam eles comercializados através do marketplace ou dos concorrentes. O fulfillment já corresponde a mais de 16% do Envvias, serviço exclusivo de postagem e entrega de produtos do marketplace e o volume de entregas próprias pelo sistema da Via já alcança 64% do total.

No fullcommerce, a empresa oferece tudo o que o fulfillment tem, mas também realiza toda operação do site, incluindo emissão de notas e sistemas para o contratante. São clientes desta modalidade, empresas como Gradiente, Café Pilão, Café L’Or, Cimed, Lenox, entre outras.

Esses serviços são um dos principais diferenciais da Via que tem a Logística como um dos seus principais pilares de diversificação de fontes de renda do negócio. Atualmente, suas marcas estão presentes em mais de 450 cidades o que viabiliza a descentralização do estoque e, consequentemente, redução do tempo de entrega do produto. São 30 CDs e mais de 1.100 lojas que funcionam como mini-hubs para entrega e recebimento das mercadorias.