Pesquisar
Close this search box.

Mercado externo – quando e como investir na expansão para novos mercados

Compartilhe este conteúdo:

*Silvinei Toffanin

A internacionalização dos negócios pode ser uma excelente maneira de expandir a atuação de uma empresa e criar uma base maior de clientes. Para dar esse importante passo, no entanto, é essencial que empresários e gestores façam um planejamento bem completo, com o estudo do mercado de interesse, costumes do consumidor – no caso de uma empresa B2C – a fim de definir estratégias relacionadas à maneira como essa entrada no mercado exterior será realizada.

A entrada em um novo mercado pode acontecer de diversas maneiras, seja por meio da abertura e atuação com um escritório comercial, instalação de centros de distribuição, franquias, lojas, unidades produtivas e até parcerias com outras empresas. Um primeiro caminho, adotado por muitas companhias, é a exportação. Nestes casos, a empresa avalia as características do consumidor local, avalia a aderência ao produto ou serviço comercializado, as particularidades do mercado e inicia os testes.

Internacionalizar um negócio requer muito planejamento. É necessário, por exemplo, avaliar e adequar o modelo de negócios à legislação e à tributação do país de interesse, passando pelos trâmites relacionados às operações de comércio exterior, certificações exigidas, fiscalizações e, em muitos casos, adaptações às regras sanitárias.

Além de todos esses aspectos, outro ponto que precisa ser estudado com cautela é a capacidade produtiva da empresa. O investimento para abertura de um negócio em terras estrangeiras vai gerar demandas para as quais a empresa precisa estar preparada. É preciso ter na mira: novos fornecedores, parceiros de negócios, estudar condições logísticas, etc.

Há ainda uma questão que considero tão ou mais importante na hora de expandir para o exterior, que é quando fazer esse movimento. Ou seja, não basta simplesmente achar que a empresa está madura, planejar e fazer todos os movimentos para levar o negócio a outro país. É fundamental fazer uma série de análises e considerações de forma cuidadosa visando o melhor momento.

É essencial averiguar as oportunidades que tipo de oportunidades esse novo mercado apresenta e se há demanda significativa pelo produto ou serviço ofertado. Examinar a concorrência também é especialmente importante, assim como determinar de que maneira a marca irá se posicionar nesse novo mercado.

Também é imperativa avaliar o momento econômico do país pretendido e como andam as flutuações cambiais. Dessa forma, surpresas negativas e desafios além dos esperados podem ser evitados, assim como pode ser elaborada uma estratégia mais robusta para gerenciar os riscos dessa expansão.

Claro, também é de extrema importância que, antes de um passo significativo como esse, a empresa esteja estável, sólida e consistente no mercado doméstico, tenha capacidade operacional para conduzir atividades em múltiplos locais, consiga definir uma estratégia global bem alinhada, bem como estruturar o marketing para atuação na nossa frente, além de considerar tendências e inovações a fim de largar na frente.

A tarefa é árdua e os caminhos podem não ser tão simples quanto se imagina, mas com muito trabalho e o suporte de especialistas que conhecem bem o mercado externo, torna-se possível alcançar o sucesso em uma empreitada como essa, de internacionalizar um negócio. Tenha coragem, prepare sua empresa e mãos à obra!

*Silvinei Toffanin é fundador e sócio da DIRETO Group – empresa reconhecida por sua integridade e solidez corporativa, acumuladas em quase30 anos de mercado, oferecendo serviços que incluem consultoria, contabilidade, controladoria, assessoria fiscal, tributária, trabalhista, legal, societária, BPO Financeiro, planejamento financeiro estratégico, gestão e administração de Family Offices, criação de Offshores, além de soluções de tecnologia, ciência de dados e inteligência