Warning: Undefined array key "options" in /var/www/html/wp-content/plugins/elementor-pro/modules/theme-builder/widgets/site-logo.php on line 192 3 estágios de produto que startups e scale ups apostam em modelo de trabalho outsourcing - WITRI

3 estágios de produto que startups e scale ups apostam em modelo de trabalho outsourcing

3 estágios de produto que startups e scale ups apostam em modelo de trabalho outsourcing

Compartilhe este conteúdo:

Contratar talentos da área de tecnologia tem sido cada vez mais difícil nas empresas, e esse desafio tem sido motivado pela escassez de mão de obra e a guerra por talentos. Hoje, o país precisa de 70 mil profissionais dessa área, mas só 46 mil pessoas são formadas com perfil tecnológico por ano, segundo dados de novembro de 2021, da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais.

Por isso, a BossaBox – startup pioneira a operar por squad-as-a-service no Brasil – tem sido grande parceira de instituições que têm a demanda de executar projetos e produtos de tecnologia em curto espaço de tempo.

Com o modelo de trabalho outsourcing, as empresas não precisam se preocupar com recrutamento ou seleção, ganham agilidade nas entregas, e passam a economizar de 40 a 70% de investimento. Já para os profissionais, as vantagens vão desde o trabalho 100% remoto, remuneração acima da média e garantida, intermediação com o cliente e a possibilidade de fazer uma renda extra trabalhando com os melhores profissionais do mercado.

“A proposta da BossaBox junta o melhor da CLT (previsibilidade de renda e garantia de pagamento) com o do freelancer (flexibilidade, autonomia e liberdade), por isso os chamamos esses profissionais de prolancers. Além disso, nós oferecemos uma série de benefícios, como acesso a coworkings, com uma diária gratuita e descontos em qualquer plano do Beer or Coffee, serviços de contabilidade com assistência na abertura de CNPJ e desconto no plano de contabilidade, além da tranquilidade de não precisar negociar salário, prazos e projetos, já que a BossaBox faz todo esse trabalho”, afirma Jéssica Muniz, Head de Operações da BossaBox. A empresa tem uma base de mais de 25 mil prolancers.

Mas ainda há dúvidas sobre de que forma esse time de freelancers pode atuar? Veja abaixo quais são os 3 tipos de produtos que pode-se alocar um profissional de alta performance sob demanda nas empresas.

Discovery de Produtos

Discovery de Produtos define-se como investigar informações, oportunidades e soluções importantes para o público alvo de determinada empresa, ao mesmo tempo que são viáveis. Ou seja, é entender profundamente o problema antes de pensar na solução. O principal objetivo é aprender rápido, validando ou invalidando hipóteses, por isso, o processo pode levar em média 50 dias com um time de até 3 profissionais, sendo eles Product Manager, Product Designer e Tech Lead.

Novos Produtos

Para desenvolver novos produtos, a BossaBox aloca um time, de em média, 5 a 7 pessoas. São 15 dias de imersão e no mínimo 90 dias para desenvolvê-lo. Com base na necessidade de cada cliente, os squads são compostos por profissionais como Product Manager, Product Designer, Tech Lead , Devs e DevOps para traçar um roadmap e organizar as metas desse desenvolvimento.

“A gente valoriza cada etapa do processo, por isso a imersão é feita com muita cautela e cuidado, assim garantimos o sucesso no desenvolvimento do produto, e mais do que isso, é importante valorizar a equipe, as pessoas e a experiência da empresa como um todo, para garantir que boas decisões técnicas serão tomadas baseadas em dados captados neste momento”, diz Jéssica.

Evolução de Produtos (Integrações)

Para produtos digitais operacionais que precisam de novos recursos, melhorias ou integrações, esta é a melhor opção. Podem ser feitas adequação às diferentes plataformas, integração com redes sociais, apps, marketplaces, gateways e outros serviços. Com 15 dias de imersão, o time de prolancers vai variar o tempo de trabalho de acordo com a complexidade da demanda. No geral, os squads deste tipo de serviço são compostos por devs (pessoas desenvolvedoras back e front end), DevOps, Tester/Quality Assurance, Tech Lead, Product Manager e Product Designer.

“Mais uma vez é importante afirmar: não é só sobre produtos, mas é também sobre pessoas e para elas. Por isso nós entendemos que os profissionais precisam estar engajados e terem flexibilidade, além de baixo turnover, para não comprometer a entrega final”, finaliza a head.

Sobre a BossaBox:

Fundada em 2017, a BossaBox é uma startup que conecta empresas, startups e scale-ups e profissionais de tecnologia para criar produtos digitais que transformam o mundo. É referência no modelo inovador squads-as-a-service no Brasil, em que monta e fornece equipes de Produto e Tecnologia – os chamados “squads” – sob demanda e de forma ágil para empresas.

A startup levantou R$ 1.4 milhões em rodada pre-seed promovida em 2019 e, em 2020, recebeu mais de R$ 8 milhões em rodada composta pelos fundos Astella Investimentos, Redpoint eventures e MIT Angels. Com mais de 25 mil prolancers altamente capacitados cadastrados, a empresa já entregou mais de 100 projetos. Por meio do trabalho remoto, a BossaBox promove a diversidade e inclusão de profissionais de todo o Brasil na área de tecnologia, garantindo acesso a uma remuneração alta independentemente da cidade ou estado em que atuam.